Terça-feira, 5 de Junho de 2007

Haja pachorra

Periodicamente, Saldanha Sanches lança acusações sobre determinados grupos. Que me lembre, e com repercussão pública, foram os funcionários da administração fiscal, os autarcas e agora os magistrados do Ministério Público colocados "na província", "capturados" pelos anteriormente visados autarcas. Face a ameaças de processos judiciais, que exigem concretização das graves acusações, Sanches reage sempre com indiferença e arrogância. Pela repetição, a conduta de Sanches parece obedecer a uma estratégia e uma finalidade. Na prática, o "eminente fiscalista" não contribuiu um chavo para o aniquilamento de qualquer polvo mafioso, de um choquinho sequer. Estas atoardas dão-lhe visibilidade mas suspeito que, apesar de esta lhe agradar, não quererá ficar por aqui. Faz bem José António Barreiros em levá-lo a depor em tribunal, meritória iniciativa que poderá demonstrar (se vier a acontecer...) o imenso vazio e inutilidade das tiradas de Saldanha Sanches. 
publicado por Luis Euripo às 21:05
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Zé Ninguém a 6 de Junho de 2007 às 10:42
Mais um esquerdalha!


Comentar post

.correio para

luiseuripo@sapo.pt

.pesquisar

 

.posts recentes

. Real politic

. Pela boca morre o peixe-2

. Profecias

. Caso Esmeralda

. Silêncio

. A competência exige-se ao...

. Um ministro dá outro bril...

. Fadio vadio. Nota-se que ...

. Um negócio mal parado

. Verão

. A notícia

. O veto

. Vamos lá punir como deve ...

. Dá aí um jeitinho

. A culpa deve ser minha

. Não havia necessidade

. Regresso

. Férias!

. "Ser jornalista é chegar ...

. Joaquim Agostinho

.arquivos

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds