Terça-feira, 6 de Março de 2007

Little Children



"Pecados Íntimos" ("Little Children " no original), de Todd Field, cruza medos de naturezas diversas. É um filme sobre o medo e sobre a redenção. O medo do conformismo e o medo de não ser conformista. E o grande medo dos terrores sociais que nos criam, exemplarmente representado pela ameaça pedófila. A cena da piscina tem tanto de perturbante como de fabulosa, quando o pedófilo do bairro nada por entre as crianças que brincam, até que alguém dá o alarme e de repente o monstro fica a nadar sozinho. De quem sentimos pena naquele momento? Do animal acossado e não das putativas vítimas.

O fascismo social está presente na forma irracional e histérica como a comunidade reage à ameaça e ao medo. A traição conjugal é fruto do medo da própria vida que se leva. No final, os valores dominantes são repostos na sua ordem natural em circunstâncias de choque que de algum modo iluminam os personagens. O auto-sacrifício do pedófilo parece tornar tudo inútil e reduz a pó as pequenas tragédias.

Um espectador comenta num site: "
3 foram o número de vezes que cochichei durante o filme". Terá este tipo sido atraído pelo título idiota do filme na sua versão para português? Este filme não pode deixar ninguém indiferente. Convence-nos de que o cinema ainda vale a pena.
tags:
publicado por Luis Euripo às 00:45
link do post | comentar | favorito

.correio para

luiseuripo@sapo.pt

.pesquisar

 

.posts recentes

. Real politic

. Pela boca morre o peixe-2

. Profecias

. Caso Esmeralda

. Silêncio

. A competência exige-se ao...

. Um ministro dá outro bril...

. Fadio vadio. Nota-se que ...

. Um negócio mal parado

. Verão

. A notícia

. O veto

. Vamos lá punir como deve ...

. Dá aí um jeitinho

. A culpa deve ser minha

. Não havia necessidade

. Regresso

. Férias!

. "Ser jornalista é chegar ...

. Joaquim Agostinho

.arquivos

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds