Segunda-feira, 12 de Março de 2007

Sai mais uma administração pública?

Neste país, toda a gente parece ter opinião sobre a reforma da administração pública. O que é mais extraordinário é que sendo a dita o monstro que parece preencher todo o espaço, continue a ser uma realidade tão pouco conhecida. Começa na ignorância dos governos - todos eles - que se vêem na contingência de ter de contratar sábios para preparar relatórios e medidas de aconselhamento. Depois começa a sair legislação que se vai alterando de legislatura para legislatura, ao ritmo dos novos governos e da produção dos sábios que afinal não eram infalíveis. Um dos mitos que alimenta esta rotina consiste na ideia de que a administração pública se criou a ela própria, o que constitui um excelente álibi para esconder que a mesma é resultado das políticas dos governos, dos partidos que os sustentam e dos eleitores que os legitimam. Logo, tem a responsabilidade de todos nós. Assim, vamos continuando a assistir alegremente ao desfile de ex-ministros das finanças que opinam catedraticamente sobre as suas criações. Tratando-se de coisa pública, bata-se à vontade, como o dono faz ao seu cão.
publicado por Luis Euripo às 17:24
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De tacci a 15 de Abril de 2007 às 21:13
Como o dono pode beter no seu cão? E porque não "como os pais podem sovar selvaticamente os filhos"?
Prazer em vir aqui, Luís Euripo. Também é da geração do Mundo de Aventuras e do Terry e os Piratas?


De Luis Euripo a 16 de Abril de 2007 às 18:18
Donos que batem no cão. Donos que abandonam o cão. Governos com síndrome de dono de cão. É uma realidade.


Comentar post

.correio para

luiseuripo@sapo.pt

.pesquisar

 

.posts recentes

. Real politic

. Pela boca morre o peixe-2

. Profecias

. Caso Esmeralda

. Silêncio

. A competência exige-se ao...

. Um ministro dá outro bril...

. Fadio vadio. Nota-se que ...

. Um negócio mal parado

. Verão

. A notícia

. O veto

. Vamos lá punir como deve ...

. Dá aí um jeitinho

. A culpa deve ser minha

. Não havia necessidade

. Regresso

. Férias!

. "Ser jornalista é chegar ...

. Joaquim Agostinho

.arquivos

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds