Segunda-feira, 28 de Maio de 2007

Hora de ponta



Ainda não tenho favorito para a câmara de Lisboa mas, se pudesse, ia buscar o João Soares a Sintra e colocava-o no seu antigo gabinete da Praça do Município. Mais ladrilho menos ladrilho, foi, de todos os que recordo, e já foram alguns, o melhor presidente que Lisboa teve. Assim, nesta fase que se afigura transitória, preferia jogar pelo seguro e apostar em quem conhece a câmara e os seus problemas, tem experiência do lugar e gostava verdadeiramente do que fazia.

Tenho simpatia por Helena Roseta mas não gosto da gente que a rodeia. Também não admiro especialmente os  independentes vindos dos partidos políticos, sobretudo nas circunstâncias em que Helena Roseta decidiu retirar-se. A sua condição profissional de arquitecta e bastonária da respectiva Ordem também me faz desconfiar do pior, atendendo aos mamarrachos que os seus ilustres colegas vão espalhando por Lisboa e resto do país. A sua ideia de impor restrições ao acesso de automóveis à cidade, através do pagamento de portagens, não só não é nova como me soa a populismo barato. Acredito, e sou utilizador de transportes públicos, que se a oferta de alternativas ao transporte privado for aceitável, as pessoas vão aderir naturalmente às suas vantagens.

Não sei como será António Costa a tratar de problemas tão transcendestes como a recolha do lixo, tão habituado que está a actividades mais sofisticadas e aos jogos políticos em outros tabuleiros. António Costa, mesmo quando trata de um incêndio na mata, é o grande estratega, o general, nunca o sapador. É disso que nos têm convencido. Por outro lado, acho sinistra aquela figura do Saldanha Sanches, um cacofónico bardo do regime que, ao contrário do colega da aldeia de Astérix, vê a sua voz amplificada pelo poder dos media, sempre apreciadores de grandes e eloquentes vergastadas.

A ver vamos.
publicado por Luis Euripo às 22:31
link do post | comentar | favorito

.correio para

luiseuripo@sapo.pt

.pesquisar

 

.posts recentes

. Real politic

. Pela boca morre o peixe-2

. Profecias

. Caso Esmeralda

. Silêncio

. A competência exige-se ao...

. Um ministro dá outro bril...

. Fadio vadio. Nota-se que ...

. Um negócio mal parado

. Verão

. A notícia

. O veto

. Vamos lá punir como deve ...

. Dá aí um jeitinho

. A culpa deve ser minha

. Não havia necessidade

. Regresso

. Férias!

. "Ser jornalista é chegar ...

. Joaquim Agostinho

.arquivos

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds