Segunda-feira, 18 de Junho de 2007

A entrevista a que temos direito




Pinto da Costa dá hoje uma grande entrevista ao Público. O segundo episódio sairá amanhã, como nas telenovelas. Trata-se, segundo o jornal, de uma entrevista "sem restrição às perguntas". Espanto-me. Esta explicação significa que haverá entrevistas em que os jornalistas aceitam "restrições às perguntas". Pinto da Costa estará mais habituado a entrevistas com as ditas restrições, como se percebe na seguinte passagem:

Pergunta - Alguma vez comprou ou mandou comprar um árbitro para beneficiar o FC Porto?
Resposta - Não. Isso não tem qualquer tipo de cabimento e só lhe respondo porque não faço reservas às perguntas.

P.S.: Ao contrário do que gostaria de acreditar, já não há coincidências nestas coisas. Assim fica registado que nesta fase de gestão de silêncios Pinto da Costa concedeu esta excepção ao Público.
publicado por Luis Euripo às 23:01
link do post | comentar | favorito

.correio para

luiseuripo@sapo.pt

.pesquisar

 

.posts recentes

. Real politic

. Pela boca morre o peixe-2

. Profecias

. Caso Esmeralda

. Silêncio

. A competência exige-se ao...

. Um ministro dá outro bril...

. Fadio vadio. Nota-se que ...

. Um negócio mal parado

. Verão

. A notícia

. O veto

. Vamos lá punir como deve ...

. Dá aí um jeitinho

. A culpa deve ser minha

. Não havia necessidade

. Regresso

. Férias!

. "Ser jornalista é chegar ...

. Joaquim Agostinho

.arquivos

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds