Quarta-feira, 7 de Fevereiro de 2007

A importância de um nome

Hoje em dia já não basta chamar-se José Silva. Tanto melhor se assinar José Marques Silva, personagem fictício para o assunto em questão. Subtilmente, a singeleza do nome próprio seguido de um dos apelidos em qualquer acto que requeira identificação sumária, como a autoria de um blog, foi sendo substituída por algo mais encorpado. Esta minha divagação não deixa de reflectir que sempre houve quem utilizasse dois apelidos. Trata-se agora de uma tendência geral. Cada um que aponte as suas razões para este fenómeno. Se chegar ao futebol vai ser difícil fazer um relato em condições. Por exemplo, Simão Sabrosa passará a ser Simão Fonseca Sabrosa.
publicado por Luis Euripo às 18:52
link do post | comentar | favorito

.correio para

luiseuripo@sapo.pt

.pesquisar

 

.posts recentes

. Real politic

. Pela boca morre o peixe-2

. Profecias

. Caso Esmeralda

. Silêncio

. A competência exige-se ao...

. Um ministro dá outro bril...

. Fadio vadio. Nota-se que ...

. Um negócio mal parado

. Verão

. A notícia

. O veto

. Vamos lá punir como deve ...

. Dá aí um jeitinho

. A culpa deve ser minha

. Não havia necessidade

. Regresso

. Férias!

. "Ser jornalista é chegar ...

. Joaquim Agostinho

.arquivos

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds