Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007

Mas riem-se de quê?


«Ele e os amigos - todos do movimento Diz Que Não, com idades entre os 23 e os 18 anos - estão na rua a fumar. "Este mês tivemos várias vitórias. Cada pessoa que convencemos de que o aborto é um mal foi uma vitória", diz José Maria Duque. "A vida não acabou hoje. O mais certo é sairmos daqui e irmo-nos divertir". E quando sairão daqui? "Quando a festa acabar."» (Reportagem no Público de hoje sobre a noite do referendo).

Acabados os discursos pungentes, as fanfarras da morte, as colagens de cartazes de fetos despedaçados e as trágicas cartas de fetos às suas malvadas e criminosas mães, a campanha do Não termina em apoteose, em festa e com uns copos. E, como disse o outro, eles andarão por aí.
 

publicado por Luis Euripo às 22:55
link do post | comentar | favorito

.correio para

luiseuripo@sapo.pt

.pesquisar

 

.posts recentes

. Real politic

. Pela boca morre o peixe-2

. Profecias

. Caso Esmeralda

. Silêncio

. A competência exige-se ao...

. Um ministro dá outro bril...

. Fadio vadio. Nota-se que ...

. Um negócio mal parado

. Verão

. A notícia

. O veto

. Vamos lá punir como deve ...

. Dá aí um jeitinho

. A culpa deve ser minha

. Não havia necessidade

. Regresso

. Férias!

. "Ser jornalista é chegar ...

. Joaquim Agostinho

.arquivos

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds