Sexta-feira, 28 de Setembro de 2007

Caso Esmeralda

O Tribunal da Relação de Coimbra determinou que o exercício do poder paternal fosse entregue ao pai biológico. No meio dos destroços provocados por esta sociedade refém dos media, aquela decisão é uma lufada de ar fresco, ao arrepio de campanhas, petições, opinião pública manipulada e dos sacerdotes da pedopsiquiatria. Esta sociedade não pára para pensar e fica impune tanta inconsciência.
publicado por Luis Euripo às 11:42
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 5 de Julho de 2007

Objectores com consciência?

Há algo de estranho e de perverso no facto de em grandes hospitais a maioria dos médicos se apresentar com o estatuto de objectores de consciência para a prática do aborto. A crer nas notícias, no Hospital de São Francisco Xavier todos os médicos são objectores, supondo que estamos a falar da valência ginecologia/obstetrícia. Dá que pensar este desfasamento entre o sentir da classe médica e o da sociedade em geral, que votou maioritariamente a favor da despenalização do aborto. Para mais, conhecendo-se a significativa influência que a esquerda tem no sector da saúde. Esperemos que esta intrigante realidade não esconda algo de mais preocupante.
publicado por Luis Euripo às 21:46
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 29 de Junho de 2007

As prioridades dos santos





João Paulo II, no local onde se encontra, parece prestar mais atenção às transmissões da fórmula 1 do que às calamidades que acontecem ao planeta. Assim, de acordo com a agência noticiosa PAP, o Vaticano investiga um possível milagre que terá salvo de morte certa o piloto Robert Kubica, vítima de brutal acidente no GP do Canadá. A intervenção de João Paulo II poderá ter tido motivações nacionalistas, digo eu, uma vez que o piloto nasceu igualmente na Polónia, o que não deixa de trazer preocupações acrescidas quanto à verdade desportiva da competição se o infalível Papa resolver exercer os seus super-poderes para empurrar Kubica para os primeiros lugares das corridas.

Não há papa ou santo que valha a tantas vítimas por esse mundo fora, designadamente as crianças. Não há santo português que puxe por uma visível ajuda divina para as nossas cores, seja para que a retoma económica finalmente se desembrulhe, seja para que a comunicação social pare de nos massacrar diariamente com tantas ocorrências deprimentes.
publicado por Luis Euripo às 12:38
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Junho de 2007

Xixi

Desemboquei ontem numa sala de espera de um laboratório de análises clínicas. Para estupefacção minha, deparei com uma multidão que exibia sem pudor o seu xixi em frasquinhos de vários tamanhos e feitios. Pensava eu que o nosso xixi é uma coisa íntima, até porque poderá ser desagradável aos outros o espectáculo de tais líquidos orgânicos. Imaginei o que se passará na sala de espera de um qualquer banco de esperma.
publicado por Luis Euripo às 13:15
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 22 de Junho de 2007

O que faz falta é avisar a malta e uma equipa de psicólogos

Há dias notei na voz do apresentador das notícias um indisfarçável incómodo pelo facto de as vítimas do caso noticiado não terem qualquer apoio de uma qualquer "equipa de psicólogos". No contexto, o dedo acusador era apontado ao Estado, entidade de quem se aguarda sempre a prestação dos serviços desprezados pelos privados, sabido que é que estes apenas se interessarão pela perspectiva do negócio. Ajudas não profissionais e sem diploma que ateste competência, nomeadamente familiares e amigos, não eram referidas.
publicado por Luis Euripo às 21:43
link | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 15 de Junho de 2007

Um mundo feliz é um mundo monótono



Num mundo feliz não haveria lugar para esta comunicação social. Não que ela conspire contra nós mas porque vive da nossa fatalidade (imagem: Rooms by the Sea, de Edward Hopper ).
publicado por Luis Euripo às 20:52
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 6 de Junho de 2007

Realidade paralela


By Phil Selby, publicado em the rut., http://bigeyedeer.wordpress.com/
publicado por Luis Euripo às 18:47
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 31 de Maio de 2007

Uma margarida no deserto



Acho alguma piada a rankings porque nos dão uma rápida noção das posições relativas de cada um. Obviamente, há aqueles que são para considerar com um mínimo de seriedade e outros cheiram a esturro, claramente enfeudados a interesses nada inocentes. Hoje foi divulgado o ranking dos países mais seguros do mundo, estudo feito pela The Enonomist, que deve ser tido em conta porque se trata nada mais nada menos que a revista favorita de Cavaco Silva. Resultado: entre 121 países Portugal encontra-se num excelente 9.º lugar.

Duas conclusões: os motoristas de táxi não têm razão e Salazar está dispensado de pôr o país na ordem. Diria mesmo que o país seria muito menos seguro com Salazar, pelo menos para aqueles que se atreviam a murmurar qualquer pequena inconveniência sobre o regime. Tiranos e tiranetes não dão saúde e segurança, como é constatável pela ocupação dos lugares do fundo da tabela do dito ranking
publicado por Luis Euripo às 20:50
link | comentar | favorito
Terça-feira, 22 de Maio de 2007

As campanhas anti-tabagistas de Hitler



Semelhanças com as campanhas das sociedades democráticas? Informação via Esperando o tal Godot, ou isso, em que ficamos a par das práticas do regime de Hitler sobre a proibição do fumo:

"Thanks to the Ministry of Science and Education, and the Reich Health Office, posters were produced depicting smoking as the typically despicable habit of Jews, jazz musicians, Gypsies, Indians, homosexuals, blacks, communists, capitalists, cripples, intellectuals and harlots. Zealous lobbyists descended into the schools, terrifying children with tales of impotence and racial impurity."
publicado por Luis Euripo às 13:29
link | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Maio de 2007

Voracidade

Acabo de ouvir nos Prós e Contras, ainda a procissão vai no adro, uma extraordinária teoria sobre o caso da menina inglesa desaparecida. Em exercício de pura especulação, uma sôfrega jornalista relata em directo do Algarve que a Judiciária irá deter três suspeitos. A justificação para essas detenções será o comportamento anómalo dos três indivíduos, que não terão arredado pé do local das investigações. Ou seja, exactamente o que os jornalistas têm feito. Também serão suspeitos?

O correspondente da RTP na Grã-Bretanha esclarece-nos que a informação em televisão só vale se tiver imagens. Obrigado pela preciosa revelação.

Escute-se com atenção José Miguel Júdice, que escreveu uma desassombrada opinião no Público da última sexta-feira, da qual respigo a seguinte passagem:

"Os órgãos de comunicação social gostam de valorizar o seu papel estruturante para a existência do Estado de direito. E baseiam na responsabilidade social a importância da sua actividade de denúncia de situações de corrupção e da legitimidade para resistirem a pressões políticas e económicas.

Podemos, cinicamente, afirmar que tudo isso não são mais do que tretas, má-fé, pretextos para justificar o injustificável e aumentar audiências. No meu caso, pelo contrário, afirmo que concordo com essa visão que os media gostam de dar de si próprios. Apenas exijo que, sendo assim, sejam capazes de viver de acordo com tão elevadas e meritórias ideias."


 (clique sobre o artigo para ampliar)
publicado por Luis Euripo às 22:58
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Maio de 2007

O quarto do poder

A informação que se vai fazendo em Portugal, sobretudo a televisiva, deixa-me incomodado. A guerra das audiências, a todos os níveis, transformou os serviços noticiosos em verdadeiros reality shows. Ora explorando até à náusea as tragédias que vão ocorrendo, ora arvorando-se em juízes/justiceiros de uma causa para a qual ninguém lhes passou procuração. Perante o comportamento generalizado da comunicação social, que nos melhores momentos raia o patético, interrogo-me onde irá parar este poder. A imprensa dita de referência não escapa a este síndrome. É sobretudo especulativa, preguiçosa, vaidosa e pouco factual. Por vezes, noto a insídia de interesses obscuros que conduzem determinadas campanhas, sejam eles económicos ou políticos. Os jornalistas parecem-me meros assalariados que se atropelam na procura de algo que os destaque. Tentam sobreviver.

Estas notas são um mero desabafo. Eu bem sei que as criticas devem ser fundamentadas com factos. Propositadamente não o farei, imitando assim o estilo dominante na comunicação social, do género "os políticos são incompetentes", "os autarcas são corruptos", "o Ronaldo é o melhor do mundo", "há muitos raptos de crianças em Portugal", "vai na cabeça de sicrano", "beltrano vai ser constituído arguido daqui a dois meses", e por aí fora.

Quando alguns sectores políticos nos procuram convencer de que a liberdade de imprensa se encontra ameaçada em Portugal, e por força da acção deste governo em particular, pergunto quem defende a sociedade e os cidadãos do poder muito pouco democrático da comunicação social.

Nota: honra às excepções, que sempre as há.
publicado por Luis Euripo às 22:38
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 13 de Abril de 2007

Cantinho da demagogia

Para uma discussão público versus privado o ensino superior privado é um exemplo acabado da bondade do investimento não público. O primeiro objectivo é ganhar dinheiro. O segundo objectivo é não perder dinheiro. Se possível, nos casos de sucesso, vamos lá dar o contributo para a sociedade.
publicado por Luis Euripo às 17:01
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2007

Constato

As agendas da comunicação social são flutuantes. Os estudiosos e académicos terão uma resposta científica. Eu apenas constato que o caso da menina Esmeralda, escondida por quem se arroga o poder de ser pai ou mãe, desapareceu dos grandes títulos e dos debates. A turba que se emocionou virou a página e passou adiante. Até que algo de verdadeiramente palpitante e espectacular (no verdadeiro sentido de espectáculo) volte a ser notícia.
publicado por Luis Euripo às 23:02
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 1 de Fevereiro de 2007

Ide e adoptai

Quantas crianças aguardam por adopção em Portugal? Muitas. Imensas. Demasiadas. Aguardam em instituições até que haja interessados e sejam reunidas as condições exigidas na lei para que sejam adoptadas. Ao que ouvi, a taxa de adopção é de apenas 2,5%, contra 5% no resto da Europa. Muitas das almas que se comovem com a desprotegida Esmeralda bem podiam deixar os abaixo-assinados, os pedidos de "habeas corpus", as lamentações e os impropérios e ir buscar uma dessas crianças. O problema da Esmeralda, neste momento, não é o dessas crianças rejeitadas. O problema da Esmeralda, bem pelo contrário, é o de ser uma criança disputada por pessoas que reclamam direitos de paternidade. Esmeralda é vítima da sua sorte e do seu destino, mas também vítima das pessoas que, não tenho dúvidas, a amam. No entanto, um amor que não é isento de sentimentos de egoísmo e de posse. E é melhor ficar por aqui.
publicado por Luis Euripo às 21:23
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2007

Serviço público

Para uma opinião informada convém TAMBÉM ler os factos que os tribunais deram por provados no chamado "caso Esmeralda". Vá lá, um pequeno esforço. Não basta ler jornais ou ver debates na televisão. Consulta no sítio do Conselho Superior da Magistratura.
publicado por Luis Euripo às 19:02
link | comentar | favorito

.correio para

luiseuripo@sapo.pt

.pesquisar

 

.posts recentes

. Caso Esmeralda

. Objectores com consciênci...

. As prioridades dos santos

. Xixi

. O que faz falta é avisar ...

. Um mundo feliz é um mundo...

. Realidade paralela

. Uma margarida no deserto

. As campanhas anti-tabagis...

. Voracidade

. O quarto do poder

. Cantinho da demagogia

. Constato

. Ide e adoptai

. Serviço público

. "Quem se preocupa com a E...

. A ética é tramada

. Cartaz sem imagem

.arquivos

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds